Subscribe
Add to Technorati Favourites
Add to del.icio.us

É nas palavras que Eu me encontro e me Liberto
É nas palavras que Eu transformo o trigo em restolho
E volto a dar de Mim
Todo o Grito libertador da minha essência.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Sei de Ti

Publicada por Palavras e Estados de Espírito


Sei que o tempo é eterno
Sei que o mar é revolto
Sei que este céu e as estrelas
São Luzes de Ti.
Sei que este rio vai em Ti desaguar
E nos Teus lábios
As suas ondas eternamente se debatem.
Sei de Ti tudo o que procuro
Sei de Ti as cores dos teus olhos
Sei de Ti o rio dos meus
Lágrimas de águas correntes
Que procuram a foz dos Teus.

Sei de Ti este abismo
Onde nele quero cair
Sei que em Ti me escondo
E me encontro neste estar sozinho
Onde o dia sorveu a noite
Sei de Ti esta madrugada que em mim encerra
Trará mais palavras
E mais Céus de verdade
Onde mais nada haverá a dizer

5 comentários:

Sandra Rocha disse...

É sempre bom ler os seus poemas, palavras sentidas, cheias de amor e saudade.
Uma grande beijoka amigo.

Riff Raff disse...

olá amigo. Comento pouco mas leio
Um abraço

Luísa disse...

:-( Desculpa!

Trocar o género não é meu apanágio...sou antes muito distraída!Desculpa!

Gosto de vir aqui...Toca-se o céu das palvras, sem núvens de entoação!
Beijinho terno!

Vieira Calado disse...

Venho retribuir a sua estimada visita

e deixar cumprimentos.

Clara disse...

Tarefa difícil a de escolher um poema para comentar. Todos eles expressam palavras sentidas, carinho e uma grande ternura. Dá prazer ler ;) Beijinho.

Enviar um comentário