Subscribe
Add to Technorati Favourites
Add to del.icio.us

É nas palavras que Eu me encontro e me Liberto
É nas palavras que Eu transformo o trigo em restolho
E volto a dar de Mim
Todo o Grito libertador da minha essência.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Saudade

Publicada por jmartins



Saudade é um rio
É um livro aberto
Saudade é um pio
De um pássaro que está perto
É talvez uma fonte
De água a correr
Duas margens sem ponte
Duma vida sem Te ter
É um momento final
Paz, amor e cansaço
Náufrago perdido no temporal
Á distância de um abraço
Vela que se agita
Sem rumo maior
Presa que grita
Nas asas de um Condor
Saudade pode ser sorriso
Querer eterno e solidão
Cruz sem crucifixo
Que alimenta e chora o Coração

7 comentários:

Eu disse...

Definição lida de "saudade"... pena que dói, né?
Mas aprendi com a vida, que tudo passa, e que o tempo é o senhor do nosso destino e o curador de nossas feridas.
Beijo imenso no seu coração.

Xana disse...

muito bonito :)

abraço

Eu disse...

Tem um desafio pra ti no meu Blog. Espero que aceite.
Beijinhos

manzas disse...

Redigi no pulsar
Do meu ser
Uma valiosa
Carta guardada...
O sol não nascerá
Sem que passe por lá
Para a ler,
Ou ela será
Lacrada.

(rss)

Obrigada pela visita
e comentário
Que deixou no meu

Pensamentos

O eterno abraço...

-MANZAS-

Riff Raff disse...

Olá amigo! afinal sempre se arranja umas rimas.
Um abraço

Riff Raff

Paula disse...

Saudade, Saudade todos nós já alguma vez sentimos de alguma coisa ou de alguém.Mas quanto a mim a saudade ás vezes também é necessária,á excepção da saudade de algum ente querido que partiu.Beijo

rosa disse...

Lindo Martins,
Adorei a expressão “duas margens sem ponte”
:)

Enviar um comentário